quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

CINQUENTA E UMA SENSAÇÕES


Alexandra Prats Couto nasceu no ano de 1973 em Espinho e sempre viveu nesta cidade à beira-mar. Estudou nas atuais Escolas Sá Couto e Dr. Manuel Laranjeira em Espinho e no Colégio Internato dos Carvalhos, tendo-se licenciado em Direito na Universidade Moderna do Porto. É em Espinho que exerce advocacia há dezassete anos.
Casou-se em 1999 e tem duas filhas gémeas, a Carolina e a Carlota, de quem muito se orgulha. Os seus pais são os seus pilares de vida. Filha de pai português e de mãe espanhola, crê ter herdado de seu pai o gosto pela escrita e o caráter perfecionista. De sua mãe, não tem dúvidas ter herdado a criatividade, a veia artística e a garra bem vincada de quem nasce na capital da Catalunha. Ama a família e tudo aquilo que envolve sentimentos.
Não tolera a desigualdade, a injustiça e o desrespeito. Ama a vida. Para si, a vida é um palco onde todos são atores. E, é nesse palco onde devemos aprender a saborear os aplausos com sorrisos e lágrimas… Vivendo o belo da vida antes que este palco desça, a cortina se feche e a escuridão ganhe caminho.


Sinopse
"Não consigo agarrar as palavras que escrevo.
Suspiram gritos de dor e revolta em busca de um outro mundo … Aquele onde os valores adormecidos ganham
cor e iluminam cada rosto com a mesma chama.
Em cada poema, estou sozinha e acompanhada pelo silêncio que berra em apelo ao próximo.
Quero uma mão estendida que procrie muitas mais. E, sem qualquer amarra, todas podem dar e receber.
A nossa fraqueza precisa de amparar muitas mãos … Para que juntas viagem por degraus firmes e generosos.
Quero um mundo vestido de coisas simples onde os acessórios não tenham prioridade.
Um mundo vazio de pobreza, de solidão, de violência, de diferenças, onde o vento só sopra amor, amizade,
respeito, serenidade…
Aguardando por todos vós neste meu mundo, é com a voz surda e a alma dorida que vos estendo a minha
mão… Carregada de sensações."

0 comentários:

Enviar um comentário